RESPEITE OS ANIMAIS E AS PLANTAS - CAMINHADAS E ACAMPAMENTOS

Os ambientes naturais que gostamos de visitar abrigam uma grande variedade de seres vivos. Os animais, a vegetação, os fungos e os líquens relacionam-se entre si de modo complexo e dependem uns dos outros, e também da integridade do ambiente, para sobreviverem. Atitudes inadequadas podem afetar essa integridade provocando processos que colaboram para a degradação das relações entre as espécies, ajudando a deterioração do próprio ecossistema.

Observe os animais à distância. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque, mesmo por parte de pequenos animais. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves.

Observar ou fotografar animais em seu ambiente natural é sempre gratificante, mas lembre-se que é muito importante manter distância, não realizar movimentos bruscos, não gritar ou falar alto, e posicionar-se de tal modo que o vento não leve seu cheiro até os animais, perturbando-os ou causando sua fuga. Se você seguir os animais ou tentar aproximar-se deles certamente irá assustá-los, fazendo com que fujam ou se tornem agressivos. O resultado é que você perde a chance de observar um animal silvestre em seu habitat natural, ao mesmo tempo em que o estressa desnecessariamente.

Uma boa dica é carregar um binóculo, principalmente se você está viajando para um local onde há boas probabilidades de observação da fauna. Além disso, um binóculo possibilita a visualização de detalhes, formas e cores imperceptíveis a olho nu. Os binóculos são especialmente indicados para observação de aves, prática que conta com boa literatura e grupos especializados que podem introduzi-lo nessa atividade.

Evite tocar em ninhos ou nos filhotes que possa encontrar. Essa atitude aparentemente inocente poderá provocar seu abandono, pois, mesmo sem reparar, você deixa sua marca no local (seu cheiro), o que é suficiente para os pais de certas espécies rejeitarem suas crias.

Seja cuidadoso ao visitar locais que abrigam as aves durante a época de nidificação ou em épocas mais sensíveis para a reprodução de cada espécie. Na observação de um ninhal ou locais de descanso, veraneio, ou invernagem de pássaros, lembre-se sempre dessa regra: mantenha uma boa distância, zele pelo silêncio de seu grupo, use roupas discretas e evite qualquer atitude que possa estressar ou afugentar os animais Assim, você terá a possibilidade de observá-los melhor.

Se avistar outros animais como cobras, lagartos, ou aranhas, evite agredi-los. O comportamento habitual desses animais, que provocam medo ou repulsa aos iniciantes no contato com a natureza, é fugir da presença humana. Deixe espaço suficiente para que eles possam fugir. Preste atenção para não cercá-los, para que eles não se tornem agressivos. Não jogue pedras nem tente afugentar os animais, pois você corre o risco de machucá-los, ou de ser atacado.

Lembre-se que matar qualquer animal pode prejudicar o equilíbrio do ambiente que você está visitando e também pode resultar em penalidade legal, prevista na Lei de Crimes Ambientais.

Não alimente os animais, pois eles podem acabar se acostumando com a comida que oferecemos e passar a invadir os acampamentos em busca de alimento, danificando barracas, mochilas e outros equipamentos.

Alimentar a fauna silvestre pode ser prejudicial à saúde dos animais, modificando seu comportamento e hábitos alimentares, na medida em que se acostumam a buscar comida onde há movimentação de pessoas ou nos acampamentos. Isso pode influir até na estrutura de população, aumentando artificialmente o número de indivíduos de determinada espécie, pela facilidade de encontrar alimentos nas mãos das pessoas. Outro risco para a fauna é que, alterado seu comportamento alimentar, os animais poderão encontrar dificuldades para buscar seu alimento na natureza e, ainda, ficará à mercê de predadores.

Seu equipamento também corre o risco de ser danificado, porque animais acostumados a obter alimento onde há pessoas, logo aprendem a furar barracas e destruir mochilas à procura de comida.

Em locais onde esse risco existe, é bom proteger sua comida, pendurando-a em lugar alto e inacessível aos animais "gatunos" ou guardando-a em sacos dentro da mochila, de modo a evitar os odores que podem atrair esses animais. Até mesmo as formigas podem fazer um bom estrago na sua barraca, buscando farelos ou restos de alimentos deixados inadvertidamente no seu interior. Portanto, todo o cuidado é pouco.

Deixe os animais domésticos em casa, pois podem causar problemas, como a introdução de doenças e ameaças ao ambiente natural.

Informe-se sobre as regras locais em relação aos animais domésticos. No caso de parques administrados pelo poder público, há uma lei específica que dispõe sobre a proibição de entrar nessas áreas com um animal doméstico, como seu gato ou cachorro, pois podem contagiar os animais silvestres com doenças ou até mesmo atacá-los. Cães têm o hábito de perseguir e, muitas vezes, matar exemplares da fauna local. Evite esses incidentes.

Não colha flores e plantas silvestres. Aprecie sua beleza no local, sem agredir a natureza, oferecendo a mesma oportunidade a outros visitantes.

Cada planta tem sua função na dinâmica do ecossistema. A colheita, mesmo que seja apenas uma pequena muda, pode alterar esse equilíbrio, ou privar algum animal de seu alimento. Muitas plantas não sobrevivem fora de seu habitat ou nunca atingem seu máximo desenvolvimento. Além disso, se cada pessoa levar uma muda de um lugar com maior intensidade de visitação, em pouco tempo o local estará sofrendo o risco de extinção das espécies mais apreciadas.

Realização:

Centro Excursionista Universitário 

WWF.jpg

Apoio:

CEULogo.png
  • Facebook
  • Instagram
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now