CUIDE DOS LOCAIS DE SUA AVENTURA - ZONAS COSTEIRAS

Caminhadas
Nas praias é preferível caminhar sobre a faixa de areia mais dura próxima à linha d'água. Além de ser mais fácil, porque o chão é mais firme, o vaivém das ondas e a variação da maré encarregam-se de apagar todas as marcas de sua passagem.

Evite pisotear ou arrancar a vegetação rala e rasteira que vive logo após a faixa de areia nua. Essas espécies são muito resistentes, mas não a ponto de tolerar pisoteio intenso. Evite também criar novas trilhas para atravessar essa faixa de vegetação ou as barreiras de arbustos, para não alterar mais ainda esse ambiente que apresenta um equilíbrio instável.

Em praias com falésias, restrinja-se às trilhas já existentes para subir ou descer a barreira, porque além do risco de acidentes, as bordas das falésias acabarão apresentando marcas indesejadas de erosão.

Na travessia de riachos que desembocam na praia, prefira fazê-lo sobre a areia da praia, onde geralmente os riachos se espalham e suas águas confundem-se com as do mar. Desse modo você estará colaborando para a preservação da fauna que vive um pouco mais acima, no ponto em que os riachos saem da mata, como os pitus e os pequenos peixes.

Nas paradas para descanso e refeições procure um local sombreado para abrigar-se do sol, mas se não o encontrar evite arrancar e cortar o mato apenas para passar alguns minutos ou umas poucas horas no local. É preferível prosseguir mais um pouco até encontrar uma sombra mais apropriada para abrigar todo o seu grupo.

Acampamentos
Prefira acampar sobre a areia, mas acima da marca da maré alta para não ser surpreendido pelas ondas batendo à porta ou até mesmo dentro de sua barraca. Procure também evitar armar a barraca diretamente sob a copa de coqueiros, porque há sempre o risco de um coco cair sobre a sua barraca, ou pior, sobre a sua cabeça, provocando acidentes que podem ser graves.

Caso o local que você escolheu para acampar apresente muitos buracos de siri ou caranguejo é melhor buscar outro sítio.

Embarcações


Caso esteja transportando embarcações de pequeno porte como caiaques, canoas ou pequenos veleiros, cuide para que a operação de pôr e tirar essas embarcações da água não provoque danos ao local. Mantenha o seu veículo fora da praia e não trafegue sobre as dunas com vegetação. Antes de sair de casa, certifique-se que seu veículo não apresenta vazamentos de gasolina, óleo e outros fluidos, para evitar a contaminação dos lugares visitados.

Você também pode contribuir para a melhoria dos serviços oferecidos e para a responsabilidade de cada um com a conservação do meio ambiente dando preferência a embarcações e outros meios de transporte que sejam menos poluentes. Para isso, dê preferência e estimule os demais a utilizarem embarcações que tenham motores de quatro tempos e que mantenham esses motores bem regulados. Caso você possa optar entre uma embarcação motorizada e uma embarcação movida a velas, prefira a última. Canoas e caiaques também são excelentes meios de transporte e podem ser utilizados em muitos pontos do nosso litoral.

A canoagem pode ser uma atividade em si. Você pode trocar suas botas por um par de remos para descobrir novas possibilidades no litoral. Há modelos de caiaques especiais para mar aberto e as canoas são perfeitas para canais, lagoas e locais abrigados ao longo da costa. Alguns centros excursionistas têm boa experiência em travessias e expedições em canoas e podem iniciá-lo nessa nova modalidade

Mergulho
Toda a costa e as ilhas do litoral brasileiro oferecem inúmeras oportunidades para o mergulho livre ou autônomo. A atividade pode causar impactos severos se você não tomar alguns cuidados básicos ligados à sua atitude em relação à fauna, flora e ao ambiente subaquático. Se em sua próxima viagem você pretende incluir o mergulho em sua aventura, leia antes as recomendações de Conduta Consciente em ambientes recifais e Mergulho em Áreas Protegidas (A Associação Cunhambebe da Ilha Anchieta), que podem ser estendidas a todos os demais locais de mergulho.

Pesca
A pesca pode ser uma atividade impactante e sua prática deve seguir a legislação vigente. Em algumas categorias de unidades de conservação a pesca é proibida. Em outras áreas onde a pesca é permitida é fundamental respeitar as épocas de defeso, quando a pesca de determinadas espécies é suspensa, pois isso contribui para a manutenção dos recursos pesqueiros, além de garantir ao pescador chances de sucesso em sua próxima pescaria. Para causar o mínimo impacto, pesque apenas o necessário para o seu próprio consumo.

O pesque e solte é uma modalidade que está se tornando cada vez mais popular. Possibilita a sobrevivência do peixe depois de capturado, para dar-lhe a chance de reproduzir-se ao menos uma vez e colaborar para a manutenção de sua espécie. Para o sucesso dessa prática é recomendável seguir algumas orientações. Procure informar-se sobre as técnicas adequadas ao pesque e solte.

Realização:

Centro Excursionista Universitário 

WWF.jpg

Apoio:

CEULogo.png
  • Facebook
  • Instagram
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now